InícioNotícia escrita porJoão Vieira Lopes, Presidente da Confederação do Comércio e Serviços (Página 2)

A AT promove mais de 2 milhões de penhoras por ano, fazendo recair, mais uma vez, sobre as empresas o ónus da cobrança dos impostos, e uma esmagadora carga burocrática.

O sistema judicial é a área onde as empresas identificam os maiores obstáculos à sua atividade, seguindo-se os licenciamentos e o sistema fiscal como os domínios mais problemáticos.

Na ausência de medidas de maior alcance reformista ao nível do Estado, receia-se uma degradação do serviço público, com graves implicações na economia.

A aposta na qualificação do capital humano nacional é fundamental para reduzir o atual desfasamento entre a oferta e a procura de trabalho.

A intenção de reforçar as CCDR deve ser objeto de uma adequada ponderação e planeamento para evitar a sua própria paralisia.

Sobre o eterno debate de quais devem ser os setores em que Portugal se deve especializar, a nossa resposta é: na inteligência.

É muito negativo que rivalidades partidárias, no quadro da maioria parlamentar e da oposição, venham pôr em causa aquilo que os parceiros conseguiram acordar.

A CCP acompanhou naturalmente todos os movimentos sociais, económicos e políticos desde 1975. Foi-se adaptando às circunstâncias e soube, em cada momento, responder aos desafios do país.

PUB
PUB
PUB