InícioNotícia escrita porJoão Vieira Lopes, Presidente da Confederação do Comércio e Serviços (Página 2)

É imprescindível ir mais longe na estruturação de Programas que olhem os territórios afetados pelos incêndios numa perspetiva global de reanimação económica.

Uma das reivindicações históricas da CCP na área fiscal tem sido a abolição dos pagamentos especiais por conta, dado o carácter de empréstimo forçado que revestem.

Será que o vencedor é o consumidor como alguns apregoam? Trata-se de um equívoco.

Assiste-se à passagem de uma economia centrada no fabrico de bens para uma outra em que são atividades imateriais que asseguram o essencial da criação de valor.

Um dos desafios estratégicos é a valorização do posicionamento geo-económico do país, o que significa fazer de Portugal um lugar central na ligação da Europa a outros continentes.

A AT promove mais de 2 milhões de penhoras por ano, fazendo recair, mais uma vez, sobre as empresas o ónus da cobrança dos impostos, e uma esmagadora carga burocrática.

O sistema judicial é a área onde as empresas identificam os maiores obstáculos à sua atividade, seguindo-se os licenciamentos e o sistema fiscal como os domínios mais problemáticos.

Na ausência de medidas de maior alcance reformista ao nível do Estado, receia-se uma degradação do serviço público, com graves implicações na economia.

PUB
PUB
PUB