InícioNotícia escrita porJoão Marcelino

jmarcelino@jornaleconomico.pt

António Costa não pode ficar refém de uma "Geringonça 2.0" nem Rui Rio do CDS pós Portas. Ambos ganham em sugerir que podem entender-se. Estão a fazer política, cálculos, a tentar fazer crescer os respetivos campos

Sérgio Conceição, Jorge Jesus e Rui Vitória, cada um com os seus problemas particulares, estão a comandar com competência os três clubes portugueses. O desporto nacional de fabricar vítimas em função dos resultados tem aqui pouco espaço desta vez

O 'processo Marquês' transformado num jogo de xadrez ou futebol: o Ministério Público (MP) ataca pelo 'Correio da Manhã' (CM), José Sócrates defende-se até na SIC - e o jornalismo, algures no meio, também pode refletir

O presidente do PS, Carlos César, começa a ganhar o hábito de ver o seu nome associado a notícias socialmente embaraçosas.

Se Sócrates fosse um comentador ter-se-ia esquecido de falar das 15 provas contra Lula e dos outros seis casos em andamento. Mas não, ele é apenas, um político. Não está ali para esclarecer. Só quer influenciar, convencer, arrebanhar – e, neste caso, antecipando necessidades próprias

O presidente do Sporting auto-destruiu-se em público. E o que pretende Jaime Marta Soares? Iniciar um processo que conduza a eleições? É o que fará sentido. Não deve esquecer-se de que presidente era, e será até ao fim, o único fiel depositário da legitimidade dos votos. Isso não é transferível

No caso GPS, estamos perante o tráfico de influências em todo o seu esplendor criminoso e de novo no eixo das famílias PS-PSD. Esta é uma tragédia na sociedade portuguesa que se vai desenrolando à vista de todos e em processos sucessivos sem que os partidos reajam. Até quando?

Os deputados devem perceber que a sua lealdade não é para ser demonstrada aos clubes cuja camisola vestem em espaços de banalidades, como o dos 'biscates' na SporTV. A única irmandade que os deveria agora mobilizar seria a de um desporto com leis adequadas ao momento que passa