InícioNotícia escrita porJoão Diogo Stoffel, Diretor-Geral da Planalto Capital

A propósito das autárquicas em Lisboa, seria muito pertinente trazer para a primeira linha do debate político o problema da vulnerabilidade sísmica da capital.

A abolição do 'roaming' é um pequeno exemplo do extraordinário impacto que a UE tem no dia a dia dos mais de 500 milhões de cidadãos europeus.

Com o aumento do peso eleitoral dos 'millennials', a velha dicotomia esquerda/direita passou a não fazer muito sentido. Para as novas gerações, a discussão socialismo/capitalismo está completamente ultrapassada.

Uma vitória de Marine Le Pen seria uma vitória do extremismo religioso e dos seus objetivos de fomentar um conflito de teor religioso.

As circunstâncias políticas e ideológicas que levaram à extinção do serviço militar obrigatório pela Europa já não se verificam nos dias de hoje.

Os 'Baby Boomers', enquanto pensionistas, representarão em breve a grande fatia dos eleitores e dos beneficiários dos recursos públicos, além de um peso eleitoral colossal.

Parece que uma força sobrenatural está a levantar o ânimo e o ego dos Portugueses e a alimentar a esperança num futuro melhor. Com uma exceção: a economia.

Para sermos felizes numa carreira temos de gostar do processo, do dia-a-dia e não apenas do reconhecimento externo ou do potencial de sucesso que ela proporciona.