InícioNotícia escrita porCarlos J. Pereira, Vice-Presidente do Grupo Parlamentar do PS

Nenhum português compreende que o Estado meta dinheiro em qualquer companhia e se afaste da sua orientação estratégica.

Foi votada favoravelmente no OE 2017, a transferência da regulação do gás de garrafa para a ERSE, que conduzirá a uma melhor regulação do setor do gás de petróleo liquefeito.

Perante a tentativa, algo pueril, de capitalizar o sucesso socialista, é comovente constatar que o maior partido da oposição enfiou-se num buraco, entalou a cabeça no fundo e ainda atirou terra em cima.

O INE apresentou há poucas semanas a conclusão que todos conheciam: a carga fiscal caiu 740 milhões em 2016.

Vendido o Novo Banco, Portugal descobre que dentro do banco bom ainda havia outro banco mau…

Está em curso, sem hesitações, uma estratégia silenciosa a favor do consumidor, em prol da energia mais barata.

Não quero ser desmancha-prazeres, mas estou intrigado com um erro informático tão bem orientado: sabia para onde ia, para o Panamá, e sabia de onde vinha, do BES.

Centeno reduziu a carga fiscal e devolveu rendimentos, apostou no crescimento e ganhou, fez dois orçamentos, nenhum retificativo, acertou nas previsões e, quando falhou, foi para serem revistas em alta.