InícioNotícia escrita porBernardo Silva Câncio, BiG - Banco de Investimento Global

O novo Presidente conseguiu chegar a acordo com antigos credores e atrair novos investidores. Um feito notável mas, talvez, demasiado precoce…

Se o diferencial entre o longo prazo e o curto prazo se está a aproximar de zero, podemos estar perto de uma recessão cíclica.

Tal como um casal deve encarar as ocasionais tensões conjugais como oportunidade para se conhecer melhor e reforçar os seus laços, também as nações o devem fazer. A tensão comercial entre os EUA e a China tem vindo a intensificar-se ao longo dos últimos anos, muito por culpa da China.

É provável que a economia italiana continue a crescer aquém da europeia, e que os prémios de risco dos ativos financeiros italianos se mantenham altos.

Nas primeiras semanas de fevereiro assistimos a um incremento de volatilidade com poucos precedentes. Inicialmente sem motivo aparente, a falta de clareza em relação aos motivos do selloff foi provavelmente a principal razão da profundidade deste.

A generalidade do mercado parece estar a desenvolver uma visão negativa relativamente às perspetivas para o resto do ano.

Por vezes, no médio-prazo, não é a dimensão do buraco financeiro que mais importa, mas a abrangência socioeconómica da empresa.

PUB
PUB
PUB