InícioNotícia escrita porÁlvaro Mendonça, Jornalista

Como os financeiros, os clubes e os seus dirigentes deveriam estar sujeitos a regras muito restritas de compliance e supervisão.

Justificações à parte, Lisboa está agora menos atrativa para quem a quer visitar e para quem cá quer trabalhar. É o preço do sucesso.

Hoje, as vítimas da globalização, os que pagaram um preço alto por ela, voltaram-se para as propostas de políticos populistas e nacionalistas e expressam com fervor o seu protesto junto das elites da política, dos negócios e dos media, que responsabilizam pelas suas perdas.

O país rejubila com esta espécie de castigo contra os mauzões da Altice, cujo único pecado foi salvarem a Portugal Telecom de um destino fatal.

O Benfica tinha os mesmos problemas e resolveu-os elegendo um presidente que nomeou e confia numa equipa profissional de gestão.

Os “ses” podem animar acalorados debates, mas não alteram o bom resultado e, no que toca à condução da economia, o resultado é francamente bom.

E a defesa do interesse nacional? As falhas do departamento de supervisão do Banco de Portugal? Ninguém é responsável?

A vaga grevista que está a assolar o país intensificou-se depois do primeiro-ministro ter começado a admitir poder ganhar as próximas eleições legislativas, pondo um ponto final na chamada geringonça.

PUB
PUB
PUB