Autoeuropa ouve casais para resolver problemas de horários

Duas psicólogas estão a ouvir os funcionários da fábrica para saber se é possível resolver conflitos de horários caso a caso. Nova comissão de trabalhadores é eleita hoje.

Luis Viegas

Duas psicólogas estão a tentar arranjar solução para evitar que os casais que trabalham na Autoeuropa fiquem sem poder acompanhar os filhos, uma vez que a fábrica de Palmela vai funcionar em laboração contínua, com três turnos, de segunda a sexta-feira, já a partir do dia 30 de outubro deste ano.

As consultas do departamento de Recursos Humanos que estão a analisar caso a caso começaram há duas semanas, apurou Diário de Notícias (DN). “Estamos a entrevistar todos os casais na Autoeuropa. Queremos ver de que forma podemos acomodar a dinâmica de conjugação de turnos e resolver esta situação de modo a causar o menor impacto possível junto das famílias”, confirmou fonte oficial da fábrica ao jornal.

A primeira fase passa por analisar quantos casais com filhos trabalham nas instalações da Autoeuropa, e só depois a administração irá apresentar contrapropostas. “A empresa está apenas a ouvir os trabalhadores e não apresentou qualquer solução”, adiantou um operário ao DN.

Os funcionários da fábrica de Palmela escolhem esta terça-feira a nova comissão de trabalhadores (CT). Há seis listas a concorrer para a CT, sendo que quatro delas são independentes e outras têm membros inscritos em sindicatos afetos à CGTP e à UGT.

A votação começa às 7h e fecha às 21h. Os resultados serão conhecidos ao final da noite. A comissão é a única entidade responsável por negociar com a administração as condições para o novo horário de produção.



Mais notícias