Autárquicas: Comissão Política do PS reúne-se quarta-feira para analisar resultados

António Costa deverá apresentar aos dirigentes socialistas uma análise sobre a atual situação política

Tiago Petinga/Lusa

A Comissão Política Nacional do Partido Socialista (PS) reúne-se na quarta-feira, às 21 horas, para analisar os resultados das eleições autárquicas de domingo, nas quais os socialistas obtiveram o melhor resultado desde 1976, conquistando sozinhos 159 das 308 câmaras. Tanto o líder do PS, António Costa, como a secretária-geral adjunta deste partido, Ana Catarina Mendes, já salientaram o caráter “histórico” do triunfo alcançado pelos socialistas. António Costa deverá apresentar aos dirigentes socialistas uma análise sobre a atual situação política.

Na segunda-feira, em conferência de imprensa, Ana Catarina Mendes disse que os socialistas conquistaram 159 presidências das 308 câmaras em disputa e mais duas em coligações (Funchal e Felgueiras). O PS apoiou ainda quatro listas independentes (Anadia, Aguiar da Beira, São João da Pesqueira e Calheta), “o que significa que os socialistas estiveram envolvidos em 165 listas vencedoras”, acrescentou.

Quanto à leitura política destas eleições, a direção do PS tem apontado o Partido Social-Democrata (PSD) como o derrotado da noite eleitoral de domingo, recusando, ao mesmo tempo, que a CDU tenha saído penalizada das autárquicas em consequência de o PCP e “Os Verdes” estarem a viabilizar no parlamento a atual solução de Governo.

António Costa afirmou que o resultado de domingo reforça politicamente o Governo, enquanto Ana Catarina Mendes procurou circunscrever a fenómenos de caráter local o facto de o PS ter conquistado à CDU nove câmaras, entre as quais Almada, Barreiro, Alcochete e Beja.

Ontem e esta terça-feira, alguns dirigentes do PS referiram à agência Lusa que vão acompanhar “com natural expetativa” o resultado da reunião de hoje do Comité Central do PCP, designadamente em matéria de conclusões sobre a noite eleitoral de domingo e se haverá ou não indícios de alguma mudança de posicionamento dos comunistas face ao Governo, numa altura em que as negociações da proposta de Orçamento do Estado para 2018 entram na reta final.



Mais notícias
PUB
PUB
PUB