Audi aumenta rigidez torcional do próximo A8 em 25%

Através de uma mistura única de materiais na construção da space frame do próximo Audi A8, a marca dos quatro anéis reclama ter aumentado a rigidez torcional do modelo em 25%, sem que isso influenciasse negativamente o peso do conjunto.

Para a próxima geração do A8, a Audi usa na construção da space frame uma mistura de quatro materiais diferentes, uma estreia na história da tecnologia Audi Space Frame (ASF). A carroçaria do novo A8 será composta por alumínio, aço, magnésio e polímeros reforçados por fibra de carbono (CFRP), continuando o princípio da casa de Ingosltadt de ter “o material certo, no sítio certo e na quantidade certa”.

Com esta mistura, a Audi reclama ter aumentado a rigidez torcional do próximo A8 em 25% face à geração atual, o que beneficia a dinâmica de condução e também os ruídos. Para tal contribui o painel traseiro composto por CFRP, que contribui com 33% para a rigidez total do veículo. Para otimizar a absorção de cargas longitudinais e transversais, são utilizadas entre seis e 19 camadas de fibra, num layout otimizado.

Uma combinação de componentes de aço dá forma à célula do passageiro, com espessuras variáveis e costumizadas de acordo com critérios de redução de peso e de aumento da força, especialmente em áreas onde a segurança é crítica. Os componentes de alumínio estão presentes em 58% da carroçaria do A8 e são o material mais utilizado, com o magnésio a ser o responsável por 28% da poupança de peso neste novo modelo, mais do que acontece na geração atual.