Associação mutualista vê contas aprovadas por mais de 90% dos associados

"Saio muito satisfeito desta Assembleia", disse Tomás Correia à saída da magna reunião de associados que decorreu no Coliseu em Lisboa, em que viu as suas propostas votadas por mais de 95% dos associados.

Tomás Correia saiu da Assembleia Geral da Associação Mutualista, dona do Montepio Geral, a dizer que se considera reforçado como líder. Uma vez que, disse, “o Conselho de Administração a que presido apresenta um conjunto de propostas e a média de votação dessas propostas foi de 95,8% dos votos”.

Esta foi a Assembleia Geral mais concorrida de sempre, precedida de notícias que dão conta de uma fragilidade financeira baseada nos capitais próprios negativos de 107 milhões de euros.

“A Assembleia Geral da Associação Mutualista Montepio acaba de aprovar, por uma larga maioria de 95,8%, as contas individuais da associação referentes ao exercício de 2016, as quais apresentaram um resultado líquido positivo de 7,4 milhões de euros”, revelou a Associação em comunicado.

A reunião magna decorreu na sala do Coliseu de Lisboa, tendo contado com a participação de mais de 1400 associados, que votaram favoravelmente, por larga maioria de 95,8%, os 5 pontos que constavam da agenda de trabalho: deliberação sobre o Relatório e Contas Consolidadas e Parecer do Conselho Fiscal referente ao Exercício de 2015, deliberação sobre o Relatório e Contas Individuais e Parecer do Conselho Fiscal referente ao Exercício de 2016, deliberação sobre as propostas de aplicação de resultados, apreciação do Relatório da Atividade do Conselho Geral, relativo ao Exercício de 2016.

Para António Tomás Correia, Presidente da Associação Mutualista e do Grupo Montepio, a elevada participação nesta assembleia-geral representa “uma prova inequívoca do interesse, motivação e envolvimento dos associados com esta instituição, que tiveram também a oportunidade de ver esclarecidas todas as suas dúvidas sobre temas relacionados com a vida associativa”.

Tomás Correia referiu no final que “as conclusões da assembleia geral são uma manifestação de coesão, e de afirmação da Associação Mutualista Montepio como instituição incontornável da Economia Social e da sociedade portuguesa”.

“O que entendemos que o Código Mutualista até deve ser revisto, e esperamos esse Código nos traga um quadro regulatório alinhado com aqueles que são os desafios do presente, que permita de desenvolver um modelo de governo que cede a democracia directa à democracia representativa”, disse Tomás Correia.

“Desde 2008 que defendemos que a autoridade de supervisão de seguros a supervisionar os produtos da associação, sem prejuízo da nossa natureza. Mas não transformem a Associação numa seguradora”.

Fundada em 1840, e com mais de 630 mil associados, a Associação Mutualista Montepio é a maior associação e maior mutualidade portuguesas.

PUB
PUB
PUB