Arroz carolino foi a votos no Parlamento (e houve unanimidade)

O projeto de lei apresentado pela bancada comunista indica que, embora Portugal não seja autossuficiente na produção de arroz, já teve de proceder à sua exportação, devido à crescente procura por arroz asiático.

O Parlamento aprovou esta sexta-feira por unanimidade um reforço das campanhas de valorização do arroz carolino português, tendo em vista um aumento do seu consumo, em detrimento do arroz proveniente da Ásia. O projeto de lei apresentado pela bancada comunista indica que, embora Portugal não seja autossuficiente na produção de arroz, já teve de proceder à sua exportação, devido à crescente procura por arroz asiático.

“O arroz carolino é aquele para o qual o país e os produtores portugueses estão mais vocacionados e é nesta produção que Portugal faz a diferença. Apesar de o país não atingir a autossuficiência, dado os baixos níveis de consumo de arroz carolino, já aconteceu proceder-se à sua exportação”, lê-se no projeto de lei apresentado pelo Partido Comunista Português (PCP).

As crescentes produções provenientes da Ásia têm afetado o consumo de arroz nacional, ao colocarem no mercado arroz com custos muito inferiores aos praticados em termos nacionais.

O PCP considera que o arroz carolino, que representa cerca de dois terços do arroz produzido no país, é “o mais adequado à gastronomia nacional e colhe as preferências dos portugueses”, mas lamenta que as “diversas campanhas de marketing começaram a ‘desviar’ essas preferências para outras qualidades de arroz”.



Mais notícias