Apple Watch deteta batimentos cardíacos anormais com precisão de 97%

A utilização do relógio da Apple em conjunto com inteligência artificial diminui o número de ataques cardíacos.

REUTERS/Issei Kato

De acordo com um estudo realizado através da app Cardiogram e da Universidade da Califórnia, o Apple Watch mede com 97% de precisão ritmos cardíacos anormais, quando emparelhado com um algoritmo de inteligência artificial.

O estudo contou com a participação de 6,158 participantes, sendo foram detetados 200 pessoas com batimentos cardíacos anormais. Os engenheiros “ensinaram” uma rede neural a identificar estes ritmos anormais através do Apple Watch, noticia o Tech Crunch.

Depois de 51 testes em hospitais, a aplicação provou que consegue reconhecer com 97% de precisão os batimentos. Segundo a equipa que tem desenvolvido a tecnologia, a inteligência artificial em conjunto com as leituras do relógio podem ajudar a prevenir ataques, visto que um quarto dos AVCs são resultado de um batimento anormal, e várias dessas condições médicas podem ser evitadas com medicamentos relativamente baratos.

Até agora este é apenas um estudo construído sobre um algoritmo preliminar, mas é promissor na tentativa de identificar e prevenir AVCs no futuro.

Há cada vez mais pessoas envelhecidas a adotarem tecnologia junto ao corpo, como o Fitbit ou o Apple Watch. Incluir algoritmos treinados para identificar problemas cardíacos podem ajudar a salvar vidas.



Mais notícias