ANTRAM reage a novo imposto francês para os pesados

“Um ultraje ao transporte internacional”. É desta forma que a ANTRAM reage a novo imposto francês para os pesados para financiar a manutenção das infraestruturas rodoviárias francesas.

A  Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias (ANTRAM) reagiu hoje às declarações da ministra dos Transportes francesa, que anunciou estar a preparar um novo imposto sobre a circulação de veículos pesados. Associação considera novo imposto “um ultraje ao transporte internacional”.

O novo imposto tem como objectivo obter uma fonte de financiamento que contribua para a manutenção das infraestruturas rodoviárias francesas, tornando-se uma alternativa à Ecotaxa Francesa (entretanto abandonada pelo governo francês).

Em comunicado, a ANTRAM dá conta que o Governo francês está, neste momento, a preparar a criação de um imposto à circulação de veículos pesados, que abrangerá as empresas de transporte internacionais não sedeadas em território francês. A medida, diz,  tem como objetivo obter uma fonte de financiamento que contribua para a manutenção das infraestruturas rodoviárias.

“Este imposto – que procura assumir-se como uma alternativa à Ecotaxa Francesa, cuja aplicação foi, recorde-se, abandonada pelo Governo francês – representa um entrave adicional ao desenvolvimento do transporte internacional, estando em sintonia com a recente política protecionista francesa relativamente ao seu mercado”, realça a ANTRAM.

Em comunicado, a associação afirmou ainda ter solicitado mais esclarecimento junto das suas congéneres francesas, no sentido de obter mais informações sobre esse imposto e que posições as mesmas estarão a equacionar de forma a possibilitar uma intervenção em consonância.

A Associação considera a medida como “inaceitável, configurando-se como mais um obstáculo ao princípio da liberdade de circulação no seio da União Europeia”.




Mais notícias
PUB
PUB
PUB