António Costa anuncia défice “perto de 1,1%” em 2017

O primeiro-ministro assinalou esta estimativa num discurso na sessão plenária do Parlamento Europeu, em Estrasburgo, esta quarta-feira.

O primeiro-ministro, António Costa, intervém durante o debate na generalidade da proposta do Governo de Orçamento do Estado (OE) para 2018, na Assembleia da República, em Lisboa, 02 de novembro de 2017. MIGUEL A. LOPES/LUSA

O primeiro-ministro anunciou esta quarta-feira, 14 de março, que o défice orçamental se terá fixado “perto de 1,1%” em 2017. António Costa assinalou a estimativa num discurso na sessão plenária do Parlamento Europeu, em Estrasburgo.

“Esta política tem permitido não só variar a página da austeridade como tem permitido obter bons resultados na consolidação das contas públicas. O défice no ano passado ficou perto de 1,1%, com o início da redução da dívida pública, ao mesmo tempo que tivemos o maior crescimento desde o início do século e uma taxa de desemprego que tem vindo a cair”, disse o governante, em declarações divulgadas pelo jornal online “Eco”.

No início do ano, o líder do Executivo português revelou que “o défice ficará francamente abaixo do 1,5%, que era a meta inicial, e rondará seguramente o 1,2% do PIB do ano passado”. À margem de uma intervenção na Fundação AEP, no Porto, António Costa adiantou ainda ter havido uma “forte redução” da dívida pública que, desde outubro, inverteu uma tendência de crescimento que vinha de há vários anos.

O défice das Administrações Públicas de 2017 ascendeu a 2.574 milhões de euros, em contabilidade pública. A diminuição resultou de uma melhoria de 1.607 milhões de euros em comparação com 2016, explicada pelo crescimento da receita de 3,8% acima do crescimento de 1,6% da despesa, segundo informações divulgadas no final de janeiro pelo Ministério das Finanças.






Mais notícias
PUB
PUB
PUB