Angola: UNITA não quer visita de governantes portugueses antes das eleições

Isaías Samakuva, presidente da UNITA e candidato às eleições presidenciais, disse que não quer governantes portugueses a visitar Angola antes da conclusão do processo eleitoral agendado para agosto.

No início de um roteiro que abrange também Espanha e França para apresentar a sua candidatura, o líder do partido do “Galo negro” apelou, na cidade do Porto, a uma postura “equidistante” portuguesa num processo em que pode vir a desempenhar “um papel fundamental”.

“Verificámos em três pleitos eleitorais -1992, 2008 e 2012 – que na aproximação da campanha eleitoral dirigentes políticos portugueses visitaram Angola e saíram com discursos laudatórios sobre quem estava a governar o país”, lembrou Isaías Samakuva.

E prosseguiu: “Naturalmente que quando faltam dois ou três meses para as eleições e vem uma entidade estrangeira e diz que o governo está bom e que está tudo bem, está a dizer ao eleitor que não há razões para mudar de governo”.

“Quisemos desta vez transmitir por portas travessas que os governantes portugueses não deviam visitar agora Angola, mas que o façam depois das eleições”, manifestou.



Mais notícias