Amazon impulsiona S&P, mas Apple leva Nasdaq para o vermelho

A limitar os ganhos em Wall Street estiveram também dados da economia norte-americana que indicam um crescimento menos robusto que o esperado.

Reuters

Os principais índices bolsistas norte-americanos encerraram a sessão desta sexta-feira pouco alterados, num dia que ficou marcado pelo negócio da compra da Whole Foods pela Amazon. A maior loja de retalho online vai pagar 42 dólares por ação, para adquirir a cadeia de supermercados biológica, um negócio avaliado em 13,7 mil milhões de dólares.

Esta é a maior compra de sempre da loja online, que pretende assumir uma posição forte no setor do retalho. O mercado encarou o negócio com otimismo, com as ações da Amazon a fecharem com um ganho de 2,4%, a liderar o S&P 500. O índice financeiro subiu 0,69% para 2.433,15 pontos.

Valorizações no setor da energia impulsionaram o índice industrial Dow Jones, que valorizou 0,11% para 21.384,28 pontos. Já o tecnológico Nasdaq fugiu ao animado, tendo encerrado a cair 0,22% para 6.151,76 pontos, pressionado pelas ações da Apple.

Wall Street esteve também a ser pressionado pelos dados da economia norte-americana que indicam um crescimento menos robusto do que se esperava. Enquanto a instabilidade política em Washington continua a travar as reformas prometidas por Donald Trump, esta sexta-feira foram conhecidos dados sobre a aquisição de habitações e sobre o sentimento do consumidores que ficaram abaixo do esperado.

“Os dados desta semana não foram encorajadores”, disse o gestor de portfólio da Gradient Investments LLC, Mariann Montagne, à agência Bloomberg. “Precisamos de ver o consumo a recuperar e um aumento da confiança em todos os níveis antes de uma retoma. Estamos num limbo estranho, juntamente com o início do verão”.

Mais notícias