Altice perto de anunciar acordo de compra da Media Capital

Venda da Media Capital deverá enquadrar-se num plano da Prisa para venda de vários ativos no sentido de reduzir a dívida bancária.

A Altice estará perto de fechar o acordo com a espanhola Prisa para adquirir a Media Capital, dona da estação de televisão TVI, confirmou o Jornal Económico junto de  fonte próxima do processo.

A Prisa quer vender a dona da estação de televisão líder em Portugal, enquadrada por um plano de venda de vários ativos que tem como objetivo reduzir a dívida bancária.

A francesa Altice, dona da PT Portugal, já tinha dado conhecimento aos reguladores em junho do facto de ter iniciado contactos exploratório para comprar o ativo ao grupo espanhol.

O Jornal Económico noticiou a 30 de junho que o conselho de administração da Prisa deverá ter apresentado aos acionistas, reunidos em assembleia-geral, um pedido de autorização para abrir negociações com entidades interessadas na compra de alguns dos seus ativos.

Não foi a primeira vez que tinham surgido informações a respeito de um eventual interesse da Altice no setor dos media em Portugal, mas até à data não tinha avançado nenhuma transação. A compra de uma empresa de conteúdos como a Media Capital – dona da maior estação de televisão em sinal aberto em Portugal -, permite à ‘telecom’ reforçar significativamente a sua oferta.

Quem é a Altice?

A francesa Altice comprou a operadora de telecomunicações PT Portugal em 2015, após luz verde da Comissão Europeia na condição desta multinacional desinvestir nos negócios portugueses que detinha – Oni e Cabovisão.

Numa nota divulgada em Bruxelas, o Executivo comunitário anunciou ter autorizado, ao abrigo do Regulamento das Concentrações da UE, a proposta de aquisição do operador de telecomunicações português, PT Portugal, pela Altice, empresa multinacional no setor de cabo e de telecomunicações, dependendo esta decisão do “desinvestimento da Altice nos seus atuais negócios portugueses, a Oni e a Cabovisão”.

A 5 de março de 2015, a Autoridade da Concorrência pediu formalmente à Comissão para analisar a venda da PT Portugal ao grupo francês, por considerar estar em melhores condições para o fazer, já que tem um histórico de análise no setor das telecomunicações em Portugal, ou seja, conhece bem a área. No entanto, esta pretensão foi rejeitada por Bruxelas.

Com esta autorização de Bruxelas, avançou assim em definitivo a operação de compra, pelo grupo Altice, da PT Portugal, que tem os serviços Meo e Sapo, entre outros, por 7.400 milhões de euros, após os acionistas da PT SGPS terem aprovado o negócio em janeiro de 2015.





Mais notícias