Alemanha vai capturar 10 mil lagartixas para construir linha férrea

A empresa de construção, Deutsche Bahn, viu-se obrigada a parar as obras da construção de uma ferrovia, num túnel em Wendlingen, devido à existência de uma espécie de lagartixa em vias de extinção, protegida por leis rigorosas. Obras irão continuar, assim que as mais de 10 mil lagartixas forem transferidas para um local seguro.

A descoberta de uma espécie de lagartixas em vias de extinção, protegida por leis rigorosas, alojadas num túnel, numa zona da cidade de Wendlingen, levou a que a empresa Deutsche Bahn fosse obrigada a parar as obras de construção da ferrovia de alta velocidade, que liga as cidades alemãs de Ulm e Stuttgart.

O objetivo passa por capturar esta espécie, denominada de lacerta agilis (lagarto ágil), além das muralis de Podarcis (lagartixa-dos-muros), e transportar para outra zona segura, de forma a colocar em marcha as obras de construção, paradas há já 18 meses, prevendo o seu término no ano 2021.

A Deutsche Bahn anunciou que iria iniciar a transferência da espécie ao longo do verão, para então construir a ferrovia de 56 quilómetros, refere o El País. Contudo, apesar do anúncio feito, não há certeza de que a transferência da espécie para um lugar seguro seja concluída antes do início do frio.

O jornal espanhol avança, também, que estudos descobriram que a zona é habitada por cerca de 250 lagartos ágeis, e por cerca de 10 mil lagartixas-dos-muros, uma certeza que obrigou a empresa de construção a alocar 15 milhões de euros para permitir o reassentamento. O montante inclui o pagamento aos especialistas que irão capturar os répteis, o transporte até à nova zona de habitação dos mesmos e o acompanhamento do processo de reabilitação.

A captura destes répteis requer um cuidado extremo, pelo que só poderão ser apanhados quando vêm ao de cima, com uma espécie de laço em miniatura. Trata-se de um trabalho complicado, lento e extremamente delicado. “Paciência, uma mão calma e muita experiência é necessária”, salientou o geólogo e caçador especialista desta espécie, Peter Bohm, citado pelo espanhol El País.

Devido ao bom tempo que se tem feito na região, a captura da espécie já foi iniciada e o porta-voz da empresa de construção, Jorg Hamann, anunciou ainda que a Deutsche Bahn iria tornar-se responsável pelo novo habitat dos répteis durante os próximos 30 anos.