Agricultura: Guiné Equatorial ‘abre a porta’ a investimento português

Embaixador da Guiné Equatorial salientou a "grande experiência" portuguesa na agricultura. "Abrimos a porta à população portuguesa para poder contribuir e participar", acrescentou.

A Guiné Equatorial quer atrair portugueses para investirem na agricultura do país, no âmbito da estratégia do governo da Guiné Equatorial de diversificar a economia, fortemente dependente do petróleo.

“A agricultura é um setor prioritário para a diversificação económica da Guiné Equatorial”, disse o embaixador da Guiné Equatorial em Lisboa, Tito Mba Ada, citado pela Lusa, após reunião com o ministro da Agricultura Luís Capoulas Santos.

O embaixador da Guiné Equatorial salientou a “grande experiência” portuguesa na agricultura. “Abrimos a porta à população portuguesa para poder contribuir e participar”, acrescentou.

“Temos ananás muito bom, temos plantas tropicais que têm fins medicinais”. frisou ainda Tito Mba Ada.

A Guiné Equatorial faz parte da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), desde 2014.

Mais notícias