Aeroportos: ANA garante que greve não afetou voos

Greve parcial dos trabalhadores das empresas de vigilância e segurança privada tem adesão superior a 50% nos aeroportos de Lisboa e Porto, mas sem afetar voos

Cristina Bernardo

A greve parcial dos trabalhadores das empresas de vigilância e segurança privada nos aeroportos portugueses não provocou alterações nos voos previstos, afirmou hoje ao Jornal Económico fonte oficial da ANA – Aeroportos de Portugal.

Os trabalhadores das empresas de vigilância e segurança privada dos aeroportos cumprem hoje, 16 de abril, o quarto de cinco dias de greve, com cada trabalhador a fazer uma paralisação de duas horas diárias no início dos turnos.

O Sindicato dos Trabalhadores da Aviação Civil (SITAVA) informou este domingo que a greve registou uma adesão superior a 50% nos aeroportos de Lisboa e Porto e superior a 30% em Faro.

No entanto, as paralisações não afetaram os voos previstos.

“As operações nos aeroportos continuam normais, sem atrasos ou cancelamentos devido à greve”, afirmou ao Jornal Económico fonte oficial da ANA – Aeroportos de Portugal.

O objetivo desta greve é obrigar as empresas de segurança privada dos aeroportos a aceitarem rever horários e salários, que estão congelados desde 2011.

PUB
PUB
PUB