Aeroporto de Lisboa liderou crescimento de tráfego nos primeiros nove meses do ano

O grande destaque vai para o aeroporto Humberto Delgado, que registou no período em análise uma subida de 19,7% no tráfego de passageiros, para cerca de 20,2 milhões de indivíduos, mais de metade do total do sistema aeroportuário nacional sob o controlo da ANA.

Cristina Bernardo
O tráfego de passageiros dos aeroportos da ANA, geridos pelo grupo francês Vinci, superou os 40 milhões de passageiros nos primeiros nove meses do ano, o que representou um crescimento de 17,7% face ao período homólogo do ano transato.
Mas o grande destaque vai para o aeroporto da Portela, agora designado aeroporto Humberto Delgado, que registou no período em análise uma subida de 19,7% no tráfego de passageiros, para cerca de 20,2 milhões de indivíduos, mais de metade do total do sistema aeroportuário nacional sob o controlo da ANA.
Com uma base muito mais baixa, inscreveram-se os aeroportos dos Açores, que protagonizaram um crescimento do tráfego de passageiros na ordem dos 20,4%, para um total de 1,8 milhões de passageiros.
O aeroporto do Porto evidenciou um aumento de 16,5% no tráfego de passageiros, para 8,2 milhões de pessoas.
A segui8r, ficou o aeroporto de Faro, que registou uma subida de 16,3% no tráfego de passageiros, para um total de cerca de 7,3 milhões de passageiros.
Também os aeroportos da Madeira geridos pela ANA beneficiaram de uma subida de tráfego de passageiros, na casa dos 8,7%, para uma cifra de 2,6 milhões de passageiros.
Em relação ao terceiro trimestre deste ano, a Vinci destaca que “em Portugal, os aeroportos registaram o melhor verão de sempre por uma ampla margem, com 16,6 milhões de passageiros entre julho e setembro, um aumento de 14,7% em relação a 2016”.
“Este crescimento reflete, em particular, o bom desempenho da companhia aérea nacional portuguesa, a TAP, que intensificou a sua expansão ao abrir novas rotas para África e Estados Unidos e recuperou tráfego com o Brasil. As operadoras de baixo custo (‘low-cost’) também obtiveram bons resultados, já que o País continua a ser um destino muito procurado por turistas europeus”, sublinha um comunicado da Vinci.
A Vinci realça ainda que “o aeroporto de Lisboa, excelente interligação europeia entre a China e a América Latina, confirmou a sua posição de ‘hub’ regional com o lançamento, no final de julho, de voos directos entre Pequim e Lisboa três vezes por semana, operados pela Beijing Capital Airlines”, tendo o tráfego no aeroporto da capital aumentado 16% julho e setembro deste ano.
 


Mais notícias