Ações do BCP tocam máximos do ano à boleia de resultados “positivos”

Os lucros do banco liderado por Nuno Amado subiram 7% no primeiro trimestre de 2017 e ficaram acima da expetativa. O resultado foi elogiado pelos analistas, o que levou a uma valorização em bolsa que chegou quase aos 6%.

O BCP valorizou esta terça-feira para valores em que não negociava desde dezembro do ano passado. O banco liderado por Nuno Amado apresentou resultados na segunda-feira que foram vistos com otimismo pelos analistas, levando a uma reação entusiasta no PSI 20.  Os títulos do banco chegaram a disparar quase 6% para 0,2375 euros, tendo fechado a sessão  a ganhar 0,85% nos 0,2265 euros.

Os analistas do CaixaBI sublinharam a “evolução positiva” nos resultados do BCP, na nota habitual de research e realçaram a “tendência das principais variáveis, nomeadamente da margem financeira e do custo do risco de crédito”.

O BCP registou um lucro de 50,1 milhões de euros entre janeiro e março, mais 7% do que no período homólogo, quando o banco alcançou os 46,7 milhões de euros de lucro. O valor compara ainda com a previsão do CaixaBI que se situava num resultado líquido consolidado de 40,3 milhões de euros no primeiro trimestre de 2017, o que significaria uma queda de 13,7% na comparação homóloga.

A subida dos lucros deveu-se principalmente à expansão contínua do resultado core, que cresceu 20% comparativamente ao mesmo trimestre de 2016, para os 254,8 milhões. No que diz respeito ao mal parado, a entidade bancária registou um crédito em risco na carteira total de mais 25 milhões do que no final do ano passado.

“A confirmação da redução gradual do custo do risco de crédito será um indicador chave para o BCP nos próximos trimestres. Não tendo existido desvios recorrentes significativos face às nossas estimativas, mantemos uma visão positiva para o investment case“, acrescentou o banco de investimento.





Mais notícias