Abate de gado aumenta na Madeira mas longe de outros tempos

O abate de gado na Região Autónoma da Madeira em 2016 aumentou 6,9% em relação ao anterior. Traduz 935,4 toneladas contra as 875,2 toneladas de 2015, ano em que havia sofrido uma quebra em relação a 2014 que registou 921,7 toneladas.

De qualquer forma, os números destes três anos são muito inferiores a valores de anos passados, com os abates entre 2000 e 2008 a oscilarem entre as 3,7 mil toneladas e as 4,2 mil toneladas. A partir de 2009 foi sempre a descer, só recuperando em 2016.

O crescimento do ano passado reflete fundamentalmente o aumento de suínos abatidos (mais 440,8%), pois embora a espécie mais abatida seja da raça bovina (92,6% do total), o incremento no abate de animais desta espécie foi pouco expressivo em termos relativos (mais 0,7%).

Em 2016, o abate de gado bovino foi de 865,8 toneladas, contra as 859,6 toneladas de 2015. Já os suínos abatidos, no ano transato, totalizou as 66,5 toneladas contra as 12,3 toneladas de 2015.

Desde o ano 2000 até o ano passado, o pico do abate de gado bovino aconteceu em 2005 com 1.963,3 toneladas. Nos suínos, o pico aconteceu em 2003 com 2.294,8 toneladas.

Ainda em 2016, podemos referir que a produção de ovos foi de 22,1 milhões de unidades, diminuindo 7,1% face ao ano anterior 23,8 milhões de unidades. Desde 2000 até 2016, o pico na produção de ovos aconteceu em 2003, com 36,4 milhões unidades.

Tendência semelhante registou-se no abate de frango, cujo volume rondou as 3,5 mil toneladas em 2016, uma redução de 11,2% face a 2015, com 3,9 mil toneladas. O pico do abate de frango aconteceu em 2012 com 4,2 mil toneladas.

Tags
Mais notícias
PUB
PUB
PUB