A partir de 2030 só vão circular veículos elétricos em Paris

As autoridades parisienses anunciam querer que, até 2030, todos os veículos animados por um motor de combustão sejam proibidos de circular nas suas artérias. A partir dessa data, apenas os elétricos poderão circular na Cidade Luz.

A Câmara Municipal de Paris anunciou formalmente, esta quinta-feira, a sua intenção de impedir a circulação de todos os modelos movidos por motores térmicos, tanto Diesel como gasolina, até 2030, relata a Reuters. A medida marca uma aceleração nos planos do Governo francês para diminuir a pegada ecológica da frota automóvel francesa e mudar para veículos elétricos. O Governo francês havia já anunciado esta intenção, tendo imposto como limite o ano de 2040. Assim, Paris – que se vê obrigada a impor banimentos pontuais por causa da qualidade do seu ar – antecipa o prazo em uma década, planeado que, após 2030, apenas veículos elétricos possam circular nas suas artérias.

“Trata-se de planear a longo prazo com uma estratégia que reduzirá os gases com efeito de estufa”, afirmou Christophe Najdovski, vereador com o pelouro dos Transportes na autarquia liderada por Anne Hidalgo. “Os Transportes são uma dos maiores emissores de gases com efeito de estufa… Por isso estamos a planear deixar veículos com motores de combustão até 2030”, afirmou Najdovski à rádio France Info.

A capital francesa, que receberá as olimpíadas de 2024 e foi o palco da mais recente cimeira sobre alterações climatéricas, já havia demonstrado vontade de acabar com os veículos poluentes dentro dos seus limites até aos Jogos Olímpicos. Já debaixo de fogo por causa da criação de zonas sem carros na cidade, dias sem carros e de multar condutores que entrem na cidade com automóveis com mais de 20 anos, afirma que não está a “banir” os modelos com motor térmico, antes a implementar um deadline exequível, acabando gradualmente com os veículos com motor térmico.

Outras cidades já consideram políticas semelhantes, o mesmo acontecendo com alguns países, como a China. O segundo maior poluidor do planeta, a seguir aos EUA, anunciou recentemente que em breve tentará livrar-se de veículos com motor térmico.



Mais notícias