A cada hora que passa, portugueses desviam dos aterros resíduos equivalentes ao peso de 12 elefantes

Em duas décadas de existência da Sociedade Ponto Verde, o País já contribuiu para a reciclagem de 7,5 milhões de toneladas de resíduos de embalagens, o equivalente ao peso de três Pontes Vasco da Gama.

Paulo Fridman /Bloomberg

Na atualidade, a cada hora que passa, os portugueses desviam dos aterros resíduos com um peso equivalente ao de uma dúzia de elefantes.

No Dia Internacional da Reciclagem, que se assinala hoje, dia 17 de maio, a Sociedade Ponto Verde (SPV) destaca, em comunicado, que “os portugueses não só têm respondido positivamente às campanhas de sensibilização levadas a cabo pela SPV” e acrescenta que “graças a esse empenho, e ao ato de separar as embalagens usadas em casa, encaminhando-as para reciclagem, tornam possível que a cada hora que passa uma quantidade de resíduos, equivalente ao do peso de 12 elefantes, seja desviado de aterro”.

A SPV foi criada em Portugal para gerir os resíduos de embalagens e “contribuir para a mudança de comportamento em matéria de reciclagem”.

“Um gesto simples que permite que os resíduos sejam transformados em matéria-prima secundária, que volta a integrar novos ciclos produtivos, representando um uso mais eficiente de recursos naturais nem sempre renováveis, numa lógica de economia circular. Cada 100 toneladas de plástico reciclado, por exemplo, evitam a extração de uma tonelada de petróleo”, revela um comunicado da SPV.

O mesmo documento acrescenta desde o surgimento da SPV, “o País já contribuiu para a reciclagem de 7,5 milhões de toneladas de resíduos de embalagens, em resultado dos sete em cada dez lares que já fazem a separação das embalagens”,

Estas 7,5 milhões de toneladas de resíduos reciclados equivalem ao peso de três Pontes Vasco da Gama.

“Apesar dos resultados positivos alcançados, existe ainda um considerável potencial de crescimento ao nível da adoção do hábito de separação em casa e fora de casa, resultando em maiores quantidades de embalagens usadas a encaminhar e que por si só representam um importante contributo para a desejável transição para um modelo económico circular, em detrimento do modelo assente no princípio de extrair-usar-descartar”, alerta a SPV.

A SPV destaca ainda que, “adicionalmente, as novas metas de reciclagem – que irão passar dos atuais 44% para 65% até 2030 e, em 2035, para 70% –  trazem com elas desafios acrescidos e, como tal, a necessidade de um ainda maior compromisso para com esta causa”.

“Estima-se que as medidas de prevenção dos resíduos, conceção ecológica, reutilização e outras ações “circulares” poderão gerar poupanças líquidas de cerca de 600 mil milhões de euros às empresas da União Europeia (cerca de 8% do total do seu volume de negócios anual), criando 170.000 empregos diretos no sector da gestão de resíduos e, ao mesmo tempo, viabilizando uma redução de 2 a 4% das emissões totais anuais de gases de efeito de estufa”, conclui o comunicado da SPV.

Ao fmn de duas décadas com a presença da SPV existem mais de 43 mil ecopontos espalhados pelo território nacional, o triplo das caixas multibanco; 71% dos portugueses fazem diariamente a separação das suas embalagens; 100% da população tem acesso à recolha seletiva; e a SPV investiu mais de 50 milhões de euros em ações de comunicação e sensibilização, um milhão de euros em projetos de responsabilidade social e mais de dois milhões de euros em investigação e desenvolvimento.

A Sociedade Ponto Verde é uma instituição privada sem fins lucrativos que tem por missão organizar e gerir a retoma e valorização de resíduos de embalagens, através da implementação do Sistema Integrado de Gestão de Resíduos de Embalagens (SIGRE), mais conhecido como ‘Sistema Ponto Verde‘.

 




Mais notícias
PUB
PUB
PUB