InícioEmpregoMais de 50% dos empregadores têm o 9ºano

Mais de 50% dos empregadores têm o 9ºano

De acordo com os dados do INE, em 2015 os funcionários tinham mais qualificações do que os patrões.

Bobby Yip/Reuters
Bobby Yip/Reuters

Em 2015, 58% dos empresários tinha apenas o 3º ciclo completo (9º ano) e, no que diz respeito aos trabalhadores, o valor situava-se nos 46%. Quanto ao ensino superior, 21% de quem emprega havia completado a licenciatura e 27% de quem é empregado também.

A notícia é avançada esta quinta-feira pelo “Jornal de Notícias”, citando dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), que realça o facto de o fosso nas habilitações literárias entre os empregadores e os empregados ter vindo a diminuir.

A forma como os dados do INE são tratados e recolhidos alterou-se em 2011, o que impede de fazer comparações detalhadas. No entanto, escreve o diário, a tendência é clara: “os “empregadores estão a qualificar-se a um ritmo mais acelerado” e a “distância que os separa dos trabalhadores está a encurtar”.

“A componente técnica e a experiência profissional são importantes, mas só são aproveitadas em pleno com uma formação formal elevada. Sem uma boa organização interna, no sentido científico do termo, a produtividade sai prejudicada”, refere Aurora Teixeira, professora da Faculdade de Economia do Porto, sobre o tema.

Na opinião de Vera Rocha, uma das justificações para o fenómeno tem que ver com o facto de muitos negócios serem formados “por necessidade, mais do que pela identificação de uma oportunidade de mercado”. Ao JN, a investigadora da Copenhagen Business School aponta o desemprego, que atinge sobretudo os menos qualificados, como factor para os cidadãos se tornarem empreendedores.

 

  • Comissariado da Independência

    Está explicado o porquê da mentalidade tacanha de muitos desses empregadores. Felizmente que há excepções há regra!

    • Pedro_SLB_LX

      Escreve- se
      Excepções à regra

      À

  • Born in 1960

    Está visto que os mais qualificados apenas querem mamar, seja na teta do Estado ou do privado.

    • José Miguel Costa

      Exato, porque um gajo ou é patrão ou é mamão, não é? Sim senhor, grande atitude.

      • Born in 1960

        É o que dizem as estatisticas.

        • José Miguel Costa

          Quais estatísticas?

          • Born in 1960

            Estudo do INE.

          • José Miguel Costa

            Pronto, já percebi, é um troll sem ideias nem noção. Já perdi demasiado tempo consigo. Passe bem.

          • Born in 1960

            Vá criar emprego que eu já o fiz.

    • Sandra Cristina Torres

      sai um cérebro para a mesa do canto…

      • Born in 1960

        Leitura feita das estatisticas.

      • Pedro_SLB_LX

        Muitos saem, mas é do País. …

    • Kusturika

      Por isso é que são mais qualificados, chama-lhes parvos…

  • Maria da Fonte

    Isto seria e em parte é, uma realidade que explica muita coisa e que nenhum Governo cria medidas para minimizar os impactos desta realidade. Por outro lado, a qualificação formal a que se refere a Sra. Professora, também tem de ser revista. Os licenciados actualmente, são muito mal preparados para o empreendedorismo, ou qualquer capacidade crítica, limitando-se a licenciar meros repetidores de teorias outrora criadas, as notas são sobrevalorizadas e chegam ao mercado de trabalho, que já tem empregadores questionáveis, muitos, não sabem sequer escrever português, cálculo mental, só com calculadora e o resultado, esse é o que todos sabemos…

    • José Sousa

      Um dos problemas que vejo é que há muito jovem licenciado chegar ao mercado quase sem experiência laboral: têm 23-24 anos e nunca tiveram sequer um emprego de férias. Culpo os pais e os próprios que quase nada sabem da vida e do funcionamento do dia a dia das empresas. Falta de expediente, comportamento adequado e relacionamento com as várias faixas etárias e sociais.
      Em Portugal ainda há muito a conversa de “o meu menino só precisa de estudar, que trato do resto”.
      Na Holanda, Alemanha ou UK, quase todos jovens começam a trabalhar cedo, em part-time ou na férias. E estão bem mais preparados para entrar no mundo laboral.

  • luis

    E isso será uma doença ? É que muitos dos “licenciados” nem sabem somar 2+2 !

  • Trumputin.

    Um empregador não o é por ter qualificações académicas ou outras.

    É empregador porque “emprega”.

    Não percebo porque se faz esta estatística. Alguns licenciados, mestres e até doutorados nem sabem escrever sem erros.

  • Pirocas the invincible

    E desde quando o 9 ano ou a antiga 4 classe são sinónimos de analfabetismo ou fraca produtividade/qualidade.. a juventude de agora todos têm( ou quase todos ) o ensino superior e não sabem pegar numa enxada,não sabem podar,não sabem soldar não sabem nada… mas são todos doutores…. e são estas miserias que me vão pagar a reforma…