Mais de 50% dos empregadores têm o 9ºano

De acordo com os dados do INE, em 2015 os funcionários tinham mais qualificações do que os patrões.

Bobby Yip/Reuters

Em 2015, 58% dos empresários tinha apenas o 3º ciclo completo (9º ano) e, no que diz respeito aos trabalhadores, o valor situava-se nos 46%. Quanto ao ensino superior, 21% de quem emprega havia completado a licenciatura e 27% de quem é empregado também.

A notícia é avançada esta quinta-feira pelo “Jornal de Notícias”, citando dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), que realça o facto de o fosso nas habilitações literárias entre os empregadores e os empregados ter vindo a diminuir.

A forma como os dados do INE são tratados e recolhidos alterou-se em 2011, o que impede de fazer comparações detalhadas. No entanto, escreve o diário, a tendência é clara: “os “empregadores estão a qualificar-se a um ritmo mais acelerado” e a “distância que os separa dos trabalhadores está a encurtar”.

“A componente técnica e a experiência profissional são importantes, mas só são aproveitadas em pleno com uma formação formal elevada. Sem uma boa organização interna, no sentido científico do termo, a produtividade sai prejudicada”, refere Aurora Teixeira, professora da Faculdade de Economia do Porto, sobre o tema.

Na opinião de Vera Rocha, uma das justificações para o fenómeno tem que ver com o facto de muitos negócios serem formados “por necessidade, mais do que pela identificação de uma oportunidade de mercado”. Ao JN, a investigadora da Copenhagen Business School aponta o desemprego, que atinge sobretudo os menos qualificados, como factor para os cidadãos se tornarem empreendedores.

 



Mais notícias
PUB
PUB
PUB