4,6 mil imóveis licenciados em Portugal em três meses

No 2º trimestre de 2017 foram licenciados 4,6 mil edifícios e concluídos 2,9 mil edifícios em Portugal. Os edifícios licenciados cresceram 7,4% face ao 2º trimestre de 2016, registando-se uma redução de 6,4% face ao trimestre anterior.

No 2º trimestre de 2017, os edifícios licenciados aumentaram 7,4% face ao período homólogo (+29,4% no 1º trimestre de 2017), correspondendo a 4,6 mil edifícios, segundo dados do INE.

Comparativamente com o trimestre anterior, o número de edifícios licenciados diminuiu 6,4% (+13,1% no 1º trimestre de 2017) e os edifícios concluídos registaram uma variação de +0,2% (+3,2% no 1º trimestre de 2017).

Nos edifícios licenciados para construções novas observou-se um acréscimo de 12,4% (+36,7% no 1º trimestre de 2017), enquanto no licenciamento para reabilitação se registou um decréscimo de 0,7% (+18,2% no 1º trimestre de 2017).

Comparativamente com o trimestre anterior, o licenciamento para construções novas decresceu 7,2% enquanto as obras de reabilitação apresentaram uma redução de 5,9%.

Os edifícios concluídos registaram aumento de 12,2% (+13,1% no 1º trimestre de 2017) perfazendo 2,9 mil edifícios e subiram 0,2% face ao primeiro trimestre do ano.

Do total de edifícios licenciados, 67,3% corresponderam a construções novas e, destas, 69,8% destinaram-se a habitação familiar.

Já os edifícios demolidos (346 edifícios) corresponderam a 7,4% do total de edifícios licenciados no 2º trimestre de 2017.

No total de edifícios licenciados apresentaram variações homólogas positivas as seguintes regiões: Norte (+15,3%), Área Metropolitana de Lisboa (+10,9%) e Centro (+5,4%). A Região Autónoma da Madeira registou a variação homóloga negativa mais destacada de -15,3%, seguida do Algarve com -10,0% e do Alentejo com -7,6%. A Região Autónoma dos Açores apresentou uma variação nula.

No licenciamento para construções novas apresentaram variações homólogas positivas as regiões Norte (+22,7%), Área Metropolitana de Lisboa (+19,9%) e Centro (+14,5%). Todas as outras regiões apresentaram variações negativas, com destaque para o Algarve (-20,5%).

Quanto ao licenciamento para reabilitação de edifícios, a Região Autónoma dos Açores apresentou a variação positiva mais elevada (+11,9%) enquanto na Região Autónoma da Madeira se observou a variação negativa de maior destaque (-22,6%).



Mais notícias