Ensaios

Estamos perante uma genial metamorfose das relações de produção, em que milhões de pessoas não cobram ordenado nenhum, mas dedicam uma boa parte do seu tempo a gerar dividendos para os gigantes tecnológicos. É a economia da atenção, superficial e caricatural.

Há uma dimensão do problema a montante, de que também os media são reflexo, e que consiste numa intolerância crescente, que já não é apenas religiosa ou cultural, mas intolerância ao mínimo sacrifício do nosso estilo de vida em prol de outros.

Importa regressar aos valores europeus do humanismo e da solidariedade, assim como ao respeito ao Estado de direito, sob pena de os populismos virem destruir o que resta da herança e tradição europeias.

É necessário um maior esforço de integração, quer por parte das instituições europeias, no sentido de conferir maior partilha do risco e maior integração europeia, quer dos países da periferia, com vista a corrigir desequilíbrios de competitividade para com o centro europeu.

Um programa de governo que apresenta aspetos que justificam acompanhamento. Um case study. A simbiose do populismo clássico com o neopopulismo da rede.

Anos mais tarde, Bourdain iria referir-se ao episódio de Beirute como o ponto de não-retorno. A partir desse dia, tornou-se obsceno voltar a focar-se meramente na comida. Sabia que a gastronomia era a porta que lhe permitia conhecer parte de uma cultura, mas queria contar histórias que fossem mais além.

Pensámos demasiado o ser-se vítima da maneira como um homem branco seria vítima. Mas há formas de ser vítima que as maiores vítimas sofreram, tendo, no entanto, sido espoliadas da possibilidade de se conceberem dessa maneira.

A imprensa periódica e a literatura permanecem, apesar da digitalização do conhecimento e da informação, como elementos essenciais do debate moderno e da construção da memória coletiva.

/
PUB
PUB
PUB