InícioMercados (Página 2)
Mercados

O conservadorismo demonstrado pela Galp no novo plano estratégico desiludiu os analistas, mas os cortes nos preços-alvo foram ligeiros. A petrolífera continua a ser vista como uma história de crescimento e o título até fechou a sessão de quarta-feira a subir.

Segundo as atas, os membros da Fed mostraram-se otimistas, durante a sua última reunião que decorreu entre os dias 30 e 31 de janeiro, e disseram que a economia é forte o suficiente para se dar início a uma estratégia de aumento de taxas de juro durante 2018.

Em janeiro, nas ordens relativas a instrumentos financeiros de dívida pública e de dívida privada aumentou, respetivamente, 53% para 4.294,8 milhões de euros e 93% para 1.372,9 milhões. Nas ordens relativas a ações, o valor subiu 8% para 1.748,2 milhões de euros.

Apesar de o índice de referência nacional ter negociado grande parte do dia com perdas, terminou a sessão a valorizar 0,36%. O dia foi misto para as bolsas europeias e o euro desvaloriza face ao dólar.

"Estamos na vanguarda tecnológica e económica para superar a especulação de moedas internacionais que afetam a vida dos venezuelanos. A Petro reafirma nossa soberania económica", disse Nicolas Maduro sobre a Petro.

Investidores e analistas vão procurar possíveis sinais sobre a inflação, especialmente depois de os dados da subida dos preços em janeiro terem sido mais elevados que o esperado e do recente 'selloff' em Wall Street.

Os pesos pesados BCP e Jerónimo Martins continuam a desvalorizar, contribuindo para a tendência negativa da bolsa nacional.