InícioCabo Verde
Cabo Verde

Empresa de Famalicão está naquele país africano desde 1993 e o seu CEO afirma que tem em vista o aumento dos ativos naquele que considera ser “o país africano mais parecido com a Europa”.

A empresa cabo-verdiana de comercialização de medicamentos cresceu 10% em 2017, número recorde que solidifica e reforça a estabilidade financeira da farmacêutica. Segundo o relatório e contas da empresa, o objectivo, agora, é crescer em média 7% ao ano até 2020.

O Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) lançou este mês uma plataforma de gestão do programa de estágios profissionais e empresariais (PEPE) para facilitar a colocação de jovens no mercado. Veja como a sua empresa pode beneficiar se pretender contratar profissionais com menos de 35 anos.

A ex-embaixatriz dos EUA em Portugal, Kim Sawyer, quer trazer a Cabo Verde o programa Connect to Success (C2S), que ajuda mulheres a desenvolverem os seus negócios. Segundo a RTP, Sawyer está em "conversações" com representantes governamentais de Cabo Verde para instalar já, já o C2S no país.

Tem uma start-up neste ramo? Saiba então o que vai mudar com a proposta de lei sobre o Crowdfunding que o Grupo Parlamentar do MpD vai levar à Assembleia Nacional - o diploma deve ir à votação, na generalidade, na sessão plenária deste mês de Abril. O Económico Cabo Verde falou com Milton Paiva, coordenador e porta-voz da bancada ventoinha nesta matéria, sobre as valências da nova lei de financiamento colectivo, que teve contributos do Banco de Cabo Verde (BCV) e outras entidades com interesse na promoção, gestão e regulação desta actividade.

“Operadores de bolsa, intermediários financeiros e brokers” é o tema do 4º fórum que a Bolsa de Valores de Cabo Verde (BVC) promove esta quarta-feira, 18, na Cidade da Praia.

O Banco de Cabo Verde prevê um aceleramento da economia cabo-verdiana até 4,5% este ano, informa o relatório de Política Monetária do banco central hoje, 17, divulgado. A previsão é mais optimista da do FMI (4,3%), mas menos ambiciosa da estimativa do Governo, que acredita que Cabo Verde irá crescer 5,5% em 2018.

O primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, respondeu às críticas do seu antecessor, José Maria Neves, afirmandoi que foi o “socialismo escalavrado” do antigo chefe do Governo cabo-verdiano que conduziu empresas públicas, como a TACV, à falência.

PUB
PUB
PUB